Quanto custa um apartamento? Entenda os principais custos para aquisição e manutenção!

Quanto custa um apartamento? Entenda os principais custos para aquisição e manutenção!
1 de outubro de 2020 Comentários desativados em Quanto custa um apartamento? Entenda os principais custos para aquisição e manutenção! Destaque, Direcional totalville

Muitas pessoas se perguntam quanto custa um apartamento. Afinal, elas sabem que as despesas vão muito além do valor de venda do imóvel. Há custos relacionados aos impostos e às taxas das transações financeiras, transmissão da propriedade, do registro em cartório, entre outros.

Além disso, não podemos deixar de contabilizar as despesas de manutenção de um imóvel, como as taxas de condomínio, as contas de luz, eventuais reformas etc. Com isso, você poderá entender quanto esses custos vão impactar sua renda mensal e planejar um financiamento que não coloque em risco sua capacidade de pagar em dia.

Assim, a aquisição de um apartamento será a realização de um sonho, e não uma dor de cabeça. Para ajudar você, a Direcional preparou um post completíssimo. Acompanhe!

Afinal, quanto custa um apartamento?

Como a compra de imóveis à vista é cada vez mais difícil para a maior parte da população, vamos focar aqui na compra de um imóvel por financiamentos.

Valor de venda do imóvel

É o valor fixo estabelecido em contrato. Você pode ter uma estimativa dele por meio dos anúncios de imóveis nos websites e anúncios das construtoras. No entanto, como em toda negociação de compra e venda, é possível obter descontos e outras condições especiais que reduzem o valor do imóvel.

Despesas de financiamento

As instituições bancárias podem cobrar determinados valores adicionais para o financiamento. Os mais comuns são:

  • correção monetária — à medida que os preços dos produtos aumentam, o dinheiro se desvaloriza. Um real hoje compra menos do que comprava há dez anos. Os bancos podem cobrar uma taxa mensal para não sair no prejuízo por ter parcelado;
  • juros — uma forma dos bancos terem lucros e reduzirem o prejuízo se uma pessoa não pagar as prestações. No Minha Casa Minha Vida, há uma faixa de renda familiar que fica isenta de juros, enquanto as demais têm juros reduzidos;
  • taxas — percentuais ou valores fixos que podem ser cobrados em algumas transações bancárias.

Tributos

  • ITBI — é o imposto relacionado à transmissão de imóveis que é cobrado pelas prefeituras. É uma porcentagem do valor de venda estabelecido em contrato, a qual pode ser vista no site da prefeitura local. Alguns municípios isentam ou reduzem o valor do ITBI para os participantes do Minha Casa Minha Vida;
  • Taxa de Registro do Contrato de Financiamento — esse documento tem força de escritura, sendo a taxa para emiti-lo variável de acordo com o Cartório de Imóveis responsável pela região do imóvel.

Caso você se enquadre nos critérios do Minha Casa Minha Vida, essa é certamente a forma de financiamento que traz menos custos. Além disso, algumas construtoras oferecem uma ajuda de custo para facilitar suas grandes conquistas. Entenda as vantagens no vídeo da Direcional:

<iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/2lblxgOVOZo" frameborder="0" allow="accelerometer; autoplay; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture" allowfullscreen></iframe>

Quanto custa manter um apartamento?

Os custos para a manutenção de um apartamento próprio são praticamente os mesmos daqueles que você tem em um alugado, como luz, internet, telefone e outros. Se morar em uma casa, entretanto, pode estranhar algumas diferenças nas despesas da vida em condomínio.

Tributos

As prefeituras municipais de cada cidade têm o direito de cobrar determinados tributos pelo uso do terreno e por serviços públicos. Geralmente, eles são fixos e cobrados anualmente, com a possibilidade de parcelamento mensal. Os mais conhecidos são IPTU e a taxa de iluminação pública.

No caso do IPTU, certas prefeituras dão isenção a todos os moradores ou isenções a pessoas que não têm condições de pagar devido à renda.

Contas de consumo (água, luz, telefone etc.)

Há três categorias de serviços que são inevitáveis em qualquer imóvel — a água, a luz e o gás de cozinha. Esses custos são regulares e você deve esperá-los todos os meses.

Em apartamentos, a luz geralmente é individualizada. Cada condômino paga o que consome dentro da sua casa. Já a água e o gás podem ser individualizados ou cobrados dentro da taxa de condomínio.

Há outros tipos de serviço de consumo que são opcionais, mas o seu conforto doméstico aumenta com a contração, como:

  • telefone
  • internet;
  • televisão a cabo;
  • serviços de streaming, como a Netflix.

É preciso avaliar se esses custos são fixos ou variáveis:

  • fixos — todos os meses, independentemente do tanto que você use, é o mesmo valor;
  • variáveis — o custo varia de acordo com o consumo. Assim, na hora do planejamento financeiro, deve avaliar o tanto que utilizou.

A partir disso, você monta um orçamento doméstico seguro e pronto para lidar com variações de despesas.

Custos específicos de um apartamento

Como você morará em um prédio, os custos para a manutenção das áreas comuns e dos serviços disponíveis são compartilhados entre os moradores de cada unidade de moradia. Isso traz taxas extras, porém, mais segurança e comodidade.

Além disso, os condomínios também podem apresentar algumas outras despesas compartilhadas, como veremos a seguir.

Gás canalizado

Em muitos prédios, as encanações de gás vêm inclusas. Assim, em vez de comprar um botijão, você deverá utilizar o gás que é distribuído do condomínio ou da concessionária local. Em alguns casos, ele pode ser individualizado. Dessa forma, pagará uma conta proporcional ao seu uso. Em outros, há um rateio colocado dentro da taxa de condomínio.

Água

Ocorre uma situação muito parecida com o gás canalizado. Quando houver medição individualizada para cada apartamento, você pagará sua própria conta. Porém, na maioria das vezes, há apenas o medidor de consumo do condomínio e a água usada por todos os apartamentos vem em uma única conta — rateada entre as unidades.

Além da taxa de condomínio, os condomínios podem estipular algumas cobranças extras para realizar melhorias. Nesse caso, é preciso que o novo custo seja aprovado na assembleia de moradores pela maioria dos presentes.

Como se preparar para todos esses custos envolvidos na compra de um apartamento?

O primeiro passo certamente é investir um pouco do seu tempo em educação financeira. Aqui no blog da Direcional, postamos sempre artigos para ajudar a entender melhor o mundo das finanças pessoais e fazer uma boa gestão delas. Algumas dicas simples são:

  • não deixe que financiamentos e parcelamentos ultrapassem mais do que 30% da renda familiar;
  • anote todos as entradas e saídas de dinheiro do orçamento da sua família;
  • evite a compra de produtos supérfluos, entre outras.

Além disso, na hora de fazer negócio, é importante conhecer os erros para evitar na hora do financiamento.

Com tudo que vimos até aqui, mais do que saber quanto custa um apartamento, é preciso entender quanto custa fazer a sua manutenção no dia a dia. Nesse sentido, fazer um financiamento pelo Minha Casa Minha Vida é uma forma de reduzir o impacto financeiro e facilitar a grande conquista de um imóvel próprio. Para garantir o sucesso, procure uma construtora que ofereça várias vantagens e facilidades dentro do programa.

Quer continuar recebendo os melhores posts para o planejamento da compra de um apartamento próprio? Então, não deixe de assinar a newsletter do nosso blog!

The post Quanto custa um apartamento? Entenda os principais custos para aquisição e manutenção! appeared first on Blog da Direcional | Onde moram as grandes conquistas.

Fonte: direcional
Author: direcional

About The Author
%d blogueiros gostam disto: